• O mais difícil no tratamento da tendinite patelar é que muitos atletas não querem cessar suas atividades
  • O fortalecimento isométrico é um exercício que pode ser feito tanto para reabilitação como para pré-treino em atletas com tendinopatia patelar

            A tendinopatia tem sido um termo muito utilizado ultimamente para caracterizar a dor e disfunção nos tendões. Como falado no artigo de Tendinite Patelar ( leia aqui ), essa disfunção está associada principalmente aos esportes que envolvem saltos, como o vôlei e o basquete. Um dos principais tratamentos para as lesões tendíneas por sobrecarga são as contrações ou exercícios excêntricos (tabela 1 e figura 1). Sua maior limitação é que eles podem causar dor durante a execução, o que leva muitos atletas a abandonarem o protocolo de tratamento, que em geral dura 6 semanas.

Tabela 1 – Tipos de exercícios

Figura 1 – Tipos de contrações

Um estudo publicado no renomado BJSM (British Journal of Sports Medicine) em 2015 relata que uma simples série de exercício isométrico pode ajudar àqueles que sofrem com essa patologia sem que haja dor na execução.

Os pesquisadores avaliaram os exercícios isométricos e compararam com os isotônicos ( exercícios em que há contrações concêntricas e excêntricas) quanto à dor, à força isométrica voluntária máxima e ao estímulo e inibição corticoespinhal (via do sistema nervoso central relacionada ao controle motor e à dor). Os exercícios foram realizados de acordo com o protocolo abaixo (figura 2).

PROTOCOLO DE EXERCÍCIOS DO ESTUDO

Figura 2

FONTE: Rio et al. 2015

Figura 2 – Sistema utilizado para o exercício isométrico.  Fonte: https://www.fysiomed.cz/ru/wp-content/uploads/biodex_system4_2.jpg

 

O estudo avaliou 6 atletas de vôlei que treinavam 2x por semana e jogavam 1x por semana. Todos com tendinopatia patelar diagnosticada por um fisioterapeuta especialista e comprovado por exame de ultrassom. Eles foram avaliados pré intervenção (ou seja, antes de qualquer exercício) e pós intervenção (imediatamente após a realização do protocolo e 45 minutos depois), quanto aos 3 parâmetros acima mencionados (dor, força isométrica voluntária máxima e inibição corticoespinhal).

O exercício isométrico reduziu imediatamente a dor no tendão patelar e esse efeito foi mantido nos 45 minutos seguintes. Os exercícios isotônicos obtiveram menor efeito sobre a dor e esse resultado não foi mantido nos minutos seguintes. Também houve aumento na força isométrica voluntária máxima nos atletas após os exercícios isométricos. Esse aumento ocorreu devido a uma maior inibição corticoespinhal que esses exercícios causaram em comparação com os exercícios isotônicos.

O estudo sugere que os exercícios isométricos são uma excelente opção no arsenal fisioterápico para o tratamento da tendinite patelar.

ATENÇÃO!! Apesar de muito relevante para a medicina desportiva esse artigo não deve ser levado como um protocolo ou receita para todos aqueles que tem tendinopatia patelar. Os exercícios em atletas ou pacientes com essa disfunção DEVEM ser acompanhados por médicos e fisioterapeutas do esporte.

 

 

Referencias Bibliográficas:

1 – Rio, E; Kidgell, D; Purdam, C; et al.. Isometric exercise induces analgesia and reduces inhibition in patellar tendinopathy. BJSM. 2015

Corredor de rua e praticante de artes marciais.

Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia Esportiva.
Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente.
Trabalha junto à equipe do FC Lokomotiv Moscow, em Moscou, Rússia.

MEDICINA DESPORTIVA

© 2018 Medicina desportiva.
Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por  

ASSINE A NEWS